Resultado da Assembleia de 28/11

Em função da falta de pagamento dos salários dos professores, a Assembleia decidiu por manter o estado de greve e não aplicação das avaliações.

PRÓXIMA ASSEMBLEIA DIA 9/12, SEGUNDA-FEIRA, ÀS 14H.

Segundo o presidente da Adoci, professor Sidnei Amaral, até o momento do início da reunião, não houve pagamento dos salários, uma vez que a última informação que tivemos era de que os atrasados seriam pagos no dia 27/11. E, em função disso, mantemos a mesma postura de estado de greve e não aplicação das avaliações, até que o Grupo Galileo cumpra com a sua parte.

Foi comentado ainda, que a questão atual não depende somente da vontade em lutar pela sobrevivência da instituição. São gritantes as condições precárias de trabalho como falta de pessoal administrativo, uma vez que têm sido frequente as demissões de pessoal, falta de segurança, falta de limpeza dos prédios e manutenção de elevadores e disponibilização de equipamentos para ministrar as aulas.

Para avaliar a conjuntura atual das ações deliberadas em Assembleia, a Adoci enviou e.mail para os professores para saber quem aplicou A1. E do total de endereços eletrônicos que temos observamos que apenas 17% responderam. Dos 17% respondentes, 95% aplicaram a A1 e 5% não aplicaram. O que significa que, em primeira análise, os 83% que não participaram podem não ter aberto e.mail ou realmente aplicaram e não quiseram opinar. De certa forma, nos dá a noção de que boa parte aplicou a avaliação, à revelia do que foi decidido em Assembleia.

Nós temos conhecimento de alguns cursos que não têm aderido às nossas deliberações, que são respaldadas pelas leis trabalhistas e, inclusive, criaram seus próprios calendários e decisões, independente das questões debatidas em nossas reuniões sindicalistas.

Lembramos ainda que os professores que encerrarem o semestre antecipadamente estarão passíveis de serem questionados judicialmente, por ser uma prática ilegal e ilegítima, pelos alunos, por não terem completado o semestre letivo e também por ser questionada nota e, quiçá, reivindicação de realizar A3, conforme direito, para cumprimento do Calendário Acadêmico.

A Adoci, juntamente com o Sinpro-Rio, conseguiu audiência pública na Alerj, através do deputado Paulo Ramos, que presidiu a CPI do Ensino Superior Privado, ocorrida neste ano, para a primeira quinzena do mês de dezembro. Nesta audiência, todas as partes envolvidas citadas no relatório da CPI serão chamadas para se posicionarem sobre a situação da crise envolvendo o Grupo Galileo e suas mantidas. “O que está faltando para nós é publicizar esses desmandos e atrocidades advindos do Grupo Galileo, até que possamos ser ouvidos pelo ministro do MEC” ressaltou Sidnei Amaral.

 ALERTAMOS QUE A GREVE PODE SER MOTIVO PARA UM DESCREDENCIAMENTO! RESISTIREMOS PELA MANUTENÇÃO  DA INSTITUIÇÃO ATÉ O FIM!

Anúncios
%d bloggers like this: